Faces da Amazônia

Nesta galeria a fotógrafa traz uma amostra da Amazônia brasileira. Retrata a natureza, as pessoas, seus costumes, ritos e tradições.

Neste ensaio, ela apresenta a Marujada, uma das festividades religiosas mais tradicionais do Estado do Pará. Reúne, em Bragança, cerca de 80 mil pessoas para homenagear São Benedito. Ela acontece no período de 18 a 26 de dezembro. Duas de suas principais características, é a dança e o predomínio da figura feminina. O ritmo principal é o retumbão. As marujas trajam saias rodadas, azuis, no dia 25 de dezembro, e no dia 26, as vermelhas, com blusas brancas rendadas, colares e chápeus com plumas. A organização e a disciplina são exercidas por uma "capitoa".  

A Marujada teve início no final do século XVIII, quando os escravos negros organizaram uma irmandade em homenagem ao Santo Negro. A procissão é outro momento muito esperado. Ela se dá no dia 26 de dezembro, quando as marujas, vestidas de vermelho, e os marujos, de branco, trasladam pelas ruas de Bragança, levando a imagem de São Benedito. A chegada do Santo, na praça da Igreja de São Benedito, ao cair da tarde, é um dos momentos mais emocionantes. As marujas, em círculo, guardam e protegem a área para que os marujos entrem com a imagem do padroeiro, carregada sob o andor. Neste momento, os marujos invadem a praça, correndo, aos gritos de comemoração, acenando com o chapéu, ao som dos badalos do sino e do espetáculo pirotécnico.  

E viva São Benedito!!!